CLICAR EM BOM PORTUGUÊS

cLiCaR e CoÇaR é Só CoMeÇar

CLICAR E COÇAR É SÓ COMEÇAR

Já que teclamos a mesma língua, fique a vontade!

Apesar de existir um MOUSE entre nós!!

Ao sair, clique e deixe o seu comentário!


oLhA a HoRa!!!

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Será?

Será o amar para mim, o mesmo que para as outras pessoas? Já cheguei a questionar-me, (se bem que não consigo conjugar esse verbo no passado...posso não estar amando, no sentido exato do verbo, estar junto, dar carinho, compartilhar as horas, o sol, o sal, o vento, a fruta...por uma impossibilidade minha ou de outrem, seja pelo tempo, da geografia ou do alinhamento dos planetas...oxalá!! Se me vem à cabeça aquele amor...sinto que ficou...e não mais existe, no presente...possivelmente, o já, o agora!! Há um outro a.m.o.r! 
Mas, o que me deixa estagnada, emocionalmente, é a resistência que pessoas da minha geração, estão em NÃO AMAR!! É isso mesmo, as pessoas como se foram vacinadas de uma virose, e ficado eternamente de quarentena...não querem amar...
Terá sido amar o mesmo para todas as gerações? Será amar, para a minha geração, o mesmo que para os jovens nos vinte anos, hoje? Falo de um amar que pressupõe o outro, a quem entregamos, e de quem recebemos, quando correspondido, a plenitude...
Nenhuma outra linguagem fala de amor como a poesia, sabemos todos. Encontramos na poesia, entre antigos e modernos, expressões de um sentir que por vezes também é ou foi o nosso. A forma do dizer poético transmite essa emoção condensada por onde os sentimentos mais profundos circulam. E a palavra, tantas vezes, faz-se eco desse indizível que frequentemente nos apanha quando queremos dizer o que no mais fundo de nós grita.
Cada geração encontra a linguagem que faz sua para falar do amor, e afinal, é o eterno desejo de absoluto que exige.
No poema de um jovem de pouco menos de trinta anos, Vasco Fernandes (1985), encontro em meia-dúzia de versos o desejo da vida vivida a dois, na total fusão que o amor pressupõe, reclamada numa entrega sem subterfúgios ou desculpas.
Escrito originalmente em inglês, a versão portuguesa fica esbatida da força vocabular do original. Transcrevo ambas.


WRONG

– What’s wrong?

Wrong?
Do you want to hold my hand as we discover each cobble stone, each arch, each corner of Rome, Paris and Venice?
Do you want our fingers to intertwine for so long and so hard that our bones will show those marks long after we are gone?
Do you want to lay on your knees and give everything of you, with no shame, no regret, just joy?
Do you want to give yourself to pleasure and pain, night after night with no other hope but to stand closer than the night before?
Do you want to hate my enemies and love my friends with a vengeance and adoration so great that they surpass yours?
Do you want to say goodnight, with no heartache, no sorrow, and meet me in your dreams right until we say good morning?
Do you want to lay your head on my shoulder, to find there, and only there, your home?
No? Then that’s what’s wrong.

Versão em português

ERRADO


etiqueta: Wilma Rangel
– O que é que se passa?

Passa?
Queres segurar-me a mão ao descobrir cada pedra, cada arco, cada recanto de Roma, Paris, Veneza?
Queres os nossos dedos entrelaçados por tanto tempo e com tal força, que os ossos mostrarão essas marcas muito depois de partirmos?
Queres prostrar-te de joelhos e dar tudo de ti, sem vergonha, sem arrependimento, só alegria?
Queres dar-te ao prazer e à dor, noite após noite, sem outra esperança a não ser ficar mais perto que na noite anterior?
Queres meus inimigos odiar e  meus amigos amar com vingança e adoração tais que ultrapassem os teus?
Queres dizer boa noite, sem angústia, sem tristeza, e encontrar-me nos teus sonhos até ao dizer bom dia?
Queres pousar a cabeça no meu ombro e encontrar ali, e só ali, a paz?
Não? Então é isso que se passa.

PtD: Wilma N Rangel

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

O soldado que tinha asas

Fé de Matthew foi acompanhada por par de asas

Tatuagem de Matthew DeRemmer feita na semana do Natal/2015


Essas imagens são de Matthew DeRemmers, do seu perfil pessoal e público, do Facebook.


Admiro, estudo, sobrevivo e vivo da escrita e leitura, me formei em Letras, pela beleza em se tornar histórico, por emocionar, tocar e surpreender, quem nos lê...com Matthew DeRemer, não era diferente! Tinha 31 anos e era um jovem norte-americano e veterano de guerra cheio de vida, planos, futuro...também tinha seus medos, angústias, solidões, paixões e fé...

Fé no poder dos anjos e das mensagens para que se ama. Certa vez me disseram, que os anjos são imensos, com mais de oito metros de altura, e possuem mais de quatro pares de asas...e cada um de nós, temos nosso próprio anjo da guarda! Se você acredita nele, ele se fortalece, e sua proteção é infinita...mas, se for o contrário!!! Ele fragueja, sofre e até chora...esse choro, apodrece suas asas e facilmente se extingue em sua dor! 

Confio tanto nessa ideologia do Cristianismo "católico", que homenageei meus filhos com os nomes dos anjos: Gabriel e Miguel.

Já a família de Matthew, lhe deu o nome de apóstolo, Mateus... mesmo assim, o perfil do soldado, nas redes sociais, está cheio de marcas dessa fé. No último dia do ano, à semelhança do que grande parte das pessoas faz, publicou uma reflexão na sua página do Facebook. O jovem, religioso e amante de motociclos, escreveu que ultrapassou “enormes desafios” em 2015, mas que “ainda há muito trabalho por fazer” em 2016. Acredito que, a atitude de tatuar, o belo par de asas nos antebraços, foi a forma de agradecer o que já tinha...ou intuir o que precisaria, para alçar seu vôo angelical, diante da irresponsabilidade do condutor da viatura, que o tirou da aventura magnifica, de pilotar sua motocicleta...pois, foi atingido por uma viatura cujo condutor estava alcoolizado. O jovem perdeu a vida, não chegando a entrar em 2016, o ano em que ainda havia tanto para fazer.

Mas antes, divulgou indagações a si mesmo:

“Venha daí 2016. Não sei onde vou terminar esta noite, mas sei que, onde quer que isso seja, será onde era suposto eu estar”, escreveu acompanhando o texto com uma imagem onde se lia “nascemos num dia, morremos num dia, podemos mudar num dia, podemos apaixonar-nos num dia. Tudo pode acontecer num dia”. 

Os amigos de Matthew fizeram da publicação do amigo uma forma de luto e homenagem e começaram a partilhar as suas palavras com os seus amigos na rede. Neste momento, o texto escrito pelo jovem veterano tem mais de 7.600 partilhas, mais de 100 comentários, ao encontrar o perfil de Matthew, vi fotos, de antes do natal, de tatuagem nos antebraços, de asas de anjos!
Matthew DeRemmer tatuou nos dois antebraços, simulando as asas de um anjo,
 tragicamente, literalmente ele vôou com o choque entre a viatura do condutor alcoolizado e sua motocicleta

Estou surpresa com seu destino, viagei por esses dias, e sei que a estrada nos assombra...mas, ao ver essa foto, e o significado dessa Tatuagem, me impressionei...tenho educação religiosa, mas discussão à parte, abri excessão e fiz, em dezembro de 2003, antes do Natal, tatuagem de dois anjos no meu ombro esquerdo, (significado de um milagre, em que o anjo Gabriel, me resgatou da morte, em uma situação de violência), mas, no meu caso pós o fato!

Já Matthew, intuitivamente, demonstrou seu amor, e fé, pré, triste acontecimento, que levou à morte o. jovem, motociclista...e com a tinta nova, do par de asas, que o acompanhou, ao trágico destino...


Em forma de pensamento...como uma oração...impressionante esse desenho...senti a ilusão boa, de que seus braços, verdadeiramente, se transformaram em, um vôo angelical...siga em paz, soldado da vida! 


By Wilma Nunes Rangel 05/01/16
Graduada em Letras e Literatura Brasileira, Pós graduada em Pesquisa e Literatura Brasileira, pela Unioeste Foz, Pr, é Professora do estado do Pr e Blogueira


sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Coletânea para a Prova Parcial do 4º Bimestre


Bomba versus Lama 

Texto 1


Uma das coisas mais tristes que o ser humano acaba fazendo diante de grandes tragédias é a relativização de tragédias.

Eu me lembro que quando eu era criança, eu via notícias de crianças passando fome na frica e um ou outro adulto dizia: “Ahhh, mas aqui no Brasil tem um monte de criança passando fome e ninguém faz nada” - uma das coisas mais imbecis que já escutei, por uma série de razões: 

Primeiro, porque lá na ?frica, onde aquelas crianças passavam fome, elas eram encurraladas por países em GUERRA, elas eram vítimas de uma violência desmedida, em países paupérrimos (e acreditem, não é um superlativo exagerado, não), onde a classe média de lá, é o miserável daqui. 

Segundo, porque se existem crianças aqui, em um país riquíssimo e farto em recursos naturais - é sinal que somos muuuuitoooo egoístas ou existe alguma coisa muuuuitoooooo errada na forma de se administrar o país, não é mesmo? Passar fome, no Brasil é como dizer “tem gente passando sede, na beira do Rio Amazonas”. Jamais, isso deveria acontecer. 

Dizer que não devemos nos preocupar com crianças africanas passando fome na ?frica porque aqui também existem crianças passando fome, é carimbar o nosso atestado de incompetência e a nossa carteirinha de insensibilidade humana. 

Gente assim também pensa: “pra que me importar com crianças passando fome no Nordeste, se aqui no meu Estado também têm.” e depois: “pra que me importar com crianças passando fome no meu Estado, se aqui no meu bairro, também têm”…até chegar ao ponto de dizer “pra que ajudar alguém, se ninguém me ajuda?”. 

Quando relativizamos tudo, o resultado final é esse. Sempre esse: o egoísmo puro e absoluto, do individualismo humano.

O meu é melhor que o seu. O meu é pior que o seu. Sempre.

E no mais, senhores - fome é FOME. Não interessa onde seja, com quem seja. Fome, é uma das dores mais absurdas que o ser humano pode sentir, e só quem já sentiu isso alguma vez na vida - como eu - entende, como isso é.

Hoje, a coisa não mudou muito não. Vejo uma tragédia imensa como essa acontecendo em Paris, um ódio infinito disseminando mortes violentas a esmo, por conta de um radicalismo extremo religioso e acreditem, existem pessoas censurando o nosso direito de nos sensibilizarmos com a tragédia francesa, apenas porque uma outra grande tragédia aconteceu aqui - no Brasil - na pequena cidade de Mariana, em Minas Gerais, há poucos dias.

“Ficam aí falando de Paris, mas Mariana que é bom…” (suspiro)
(...)

Mas tragédias como a de Mariana e de Paris poderiam ter sido evitadas. Isso sim, é o que dói mais, nos dois casos.

Mariana, pela negligência continuada, ano após ano. Paris, pela insanidade religiosa, estudada, planejada e programada.

Ambas, tragédias provocadas pela ação do ser humano. Ambas, evitáveis. Ambas, provocando dor, comoção e sofrimento, para muitos. ( Fábio Márcio, Jornal MS Diário, 16/11/15, Blog Só Atividades)


Texto 2

A inveja é uma mérde - Fábio Marchi


Apesar de sermos um país “abençoado”, somos um povo invejoso. 

Não é a inveja pelo que não temos, mas pelo que não somos. E acreditem, somos tão invejosos, ao ponto de invejarmos a atenção dispensada, pela tragédia alheia - o que causa muita preocupação: pois quando o povo de um país, passa a sentir INVEJA de todo o rebuliço causado no resto do Mundo, por conta de uma tragédia acontecida em OUTRO país - é porque chegamos ao fim do poço, no quesito “vencer na vida” (na verdade, já passamos desse fim, cavando um belo buraco). 

[...]

Só para se ter uma noção do quanto somos diferentes, algumas horas depois dos atentados na França, o presidente pessoalmente estava lá, andando sobre escombros e conversando com as vítimas. Aqui, nossa Presidenta fez um sobrevôo de helicóptero, em Mariana. Não andou de barquinho, não colocou o pé na lama.

Lá, o Governo Francês combate com veemência as ações terroristas. Aqui, o Governo Brasileiro apóia a imigração de jihadistas - ou seja, os extremistas islâmicos que defendem matar qualquer um que seja “infiel”, pela sua “guerra santa” (onde em sua cultura, mulher não manda porcaria alguma, e jamais será Presidente de algo). Podem vir bombardear aqui, que somos o povo mais legal e acolhedor do Mundo, viu?

[...]

É claro, não vou dizer que o brasileiro não tenha bom coração. É claro que temos - e garanto que a maioria da nossa população, em sua imensa maioria (na verdade, a esperança é essa), tenha boa índole e se preocupe, de verdade, com as tragédias alheias, tanto aqui, como acolá.

Mas é que aqui, nós sabemos que as coisas são diferentes. Principalmente, porque alguém vai passar a perna, na sua boa fé e na sua vontade, em ajudar. 
(...)

Nós não acreditamos em nós mesmos. E não fazemos o menor esforço, para que isso mude. Admiramos e temos condolência com a tragédia alheia, porque no fundo, sabemos que lá, as coisas funcionam de verdade.

[...]

Entendam: não é descaso. É admissão, do nosso fracasso social.

Ainda tem dúvidas? Então vou dar dois exemplos clássicos, duas tragédias que, há décadas - atormentam a população de tal jeito - que já nos tornamos relativamente insensíveis a elas, em algum nível:

Seca no Nordeste e deslizamentos de terra, no litoral Sudeste/Sul.

Sim, elas existem, e são tragédias humanas - mas o resto do povo se importa cada vez menos, a cada ano que passa (quem recebe doações, sabe exatamente do que estou falando). 

A primeira é uma tragédia lenta, gradativa e não sensibiliza a mídia - são pessoas pobres, não são consumidores dos produtos dos anunciantes (boa parte desses locais, nem TV têm) e portanto, não merecem muito interesse pelos órgãos de comunicação locais - quiçá, os nacionais. A segunda, por ser uma tragédia sazonal - de época marcada - gera mídia, mas causa estresse no resto da população: afinal, se sabem que isso vai acontecer DE NOVO, porquê não fazem nada? [...]

E por quê não resolvem? Resposta simples: ambas são motes eleitorais e ajudam muito os políticos a se elegerem ou reelegerem-se. A promessa de uma vida melhor e diferente ainda é o melhor cabo eleitoral. Ademais, no Brasil, tragédias infinitas, sem solução, continuadas e persistentes - são uma excelente fábrica de dinheiro. Nosso dinheiro.

Sendo assim, antes de você reclamar que alguém mudou a foto do perfil nas redes sociais pelas cores da bandeira francesa (porque as redes sociais conseguiram se mobilizar para isso, mais rapidamente do que uma votação de reality show ), dê o exemplo! Mostre que você é o brasileiro ou a brasileira, que fez a diferença!

Mostre o que você já fez pela cidade de Mariana, por exemplo. Mostre a doação que você já fez, seja em dinheiro, comida ou água. Foi lá trabalhar como voluntário(a)? Mostre o quanto você tem moral para cobrar algo, além de reclamar muito, nas redes sociais. Mostre pelo menos a petição virtual que você assinou, pedindo justiça- antes de vociferar que “a gente não liga para as nossas tragédias”.

Todos ligamos, amigos. Só não acreditamos mais na resolução delas. 

Como mostrar para o Mundo que merecemos atenção e solidariedade para as nossas tragédias, se nós mesmos não levamos a sério, as NOSSAS tragédias? [...]

E você ainda vai ficar de mimimi, por causa de amigos que mudaram seu avatar nas cores da França, no FEICE, através de um sistema que o próprio Facebook criou e disponibilizou, através de UM CLIQUE ??? Então convença Mark Zuckerberg para que, na nossa próxima grande tragédia brasileira, ele se comova e assim, disponibilize uma ferramenta semelhante para nós, ok? Aí sim, vai ficar tudo legal, tudo em casa! 

Afinal de contas, só assim - e só isso, um avatar - demonstraria o nosso respeito pelas nossas tragédias, né?

PS: Esse texto, é mais para quem não entendeu meu OUTRO texto, aqui. Se você entendeu, parabéns - vai ganhar um croissant! Virtual, é claro.



quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Produção de vídeos: II Seminário de Temas e Mídias

Vídeos  II Seminário de Temas

Esse post será diferente, é a produção, edição e seleção do conteúdo, a partir das apresentacões do I Seminário, realizado individualmente por cada aluno, dos 8* Anos do CEUG, as 6 turmas "Detonaram" nas Apresentações e Exposições dos Temas, nas palestras, coletaram materiais, utilizando Dispositivos Móveis, produzindo agora, Vídeos para conscientizar Adolescentes, nos mais variados temas!
O 8* B, já se organiza e Entrega as primeiras Edições! Assista, curte e comenta! Amo essas turminhas!!!

ESSA SEMANA O VÍDEO QUE ESTÁ 

EM 1º LUGAR É esse:
VÍDEO EXCELENTE PELA CRIATIVIDADE!
PRODUÇÃO DA TURMINHA
do barulho, 8* D,  e é do esperto e criativo 

GABRIEL

Em 2º LUGAR!

A Primeira entrega do 8*C,

 veio de SALTO ALTO!! 

É O TEMA S.A.P.A.T.O.S!

By Alexandre Benitez 

Dupla com O aluno que teve a
CORAGEM de entrevistar uma grande MULHER:
DIRETORA IOLANDA PRUDENTE,
 do Colégio Estadual Ulysses Guimarães!

_ Só não dei 10,0 por causa do erro ortográfico: * Enfim :)


DESTAQUE PARA ESSA PRODUÇÃO!

- Dá 10,0 PRA ELE PROFESSORA!!

_ Dou...
e dei!!!

P.A.R.A.B.É.N.S!!! Fernando Fernandes Figueiredo

Tema: Redes Sociais e os Adolescentes!


VEJA O DESTAQUE dos produzidos!! "Por enquanto"
Produção, edição e Direção de Marcos Konig


 I Dupla: Ana e Andrieli - 8* B


II Trio: Gabriel, Jaime e Rafael 8* B
III - Carlos, Gabriel e Jaimes - 8* B

IV Produção entregue é do 8* B!


V Filme postado!





Aluno Ellython Liberato 8*A

Segue os vídeos com definições do Seminário! Curtem e Compartilhem! Turmas: 8*s A, B, C e D do Colégio Estadual Ulysses Guimarães, Foz do Iguaçu, PR. do ano letivo de 2015!

                                             8* C

                                            8*A
https://www.facebook.com/enzo.morinigoalves/videos/vb.100003195639687/835948783188302/?type=2&theater&notif_t=mentions_comment


Débora, o Bullying na palma da mão! 

Por Gabriela Martins, linda montagem e edição amei o assovio! 8º Ano C e sua criatividade superando!!

A paixão por jogos ON LINE...

está no vídeo! Yohan, 8º A


SEMINÁRIO SOBRE PING PONG! 

O que mais curti! Por tantas informações, que eu como jogadora em época de Faculdade, jamais imaginaria! Pesquisa feita por meu aluno querido: Evertom W, do 8º A!


Antigamente era comum as bolinhas de ping pong  às vezes, queimar ou explodir quando atingidas pela raquete, que fazia uma emoção extra no game. Hoje em dia, as bolas modernas são menos sensíveis, mas se você pegar um isqueiro e acender uma  bola, ela vai explodir em chamas, queimando como um pequeno lança-chamas.
Mas você sabe por que bolas de ping pong queimam? Aqui está a resposta:
Algumas pessoas pensam que bolas de ping pong devem ser preenchidas com um pouco de gás inflamável, mas elas estão erradas, já que a bolinha só contém ar em seu interior. O segredo na verdade, está  na composição real da bola. Bolas de ping pong queimam, porque eles são compostos de celulóide, que é como a nitrocelulose .






A Nitrocelulose
A Nitrocelulose

A nitrocelulose é um composto inflamável produzido por nitração de celulose com um agente de nitração, tal como ácido nítrico. Nitrocelulose também é conhecida como nitrato de celulose, arma do algodão, ou FlashPaper
A Nitrocelulose é extremamente inflamável. As bolas de ping pong antigas consistiam em celulóide acidificado, que se tornava cada vez mais instável ao longo do tempo. A menor faísca ou o miserável calor da fricção com a raquete ou a mesa, já poderia inflamar essas bolas.

Como as bolinhas de Ping Pong são feitas

ping-pong-2
O Padrão da bolinha de  ping pong  estabelece que ela deve ter  40 milímetros de diâmetro, com um peso de 2,7 gramas e um coeficiente de restituição de 0,89-,92.
A bola é cheia com ar e tem um acabamento fosco. O material das bolas normais não está especificado na padronização do esporte, mas as bolas são tipicamente feitas de celulóide ou outro plástico, como o poliestireno. O celulóide é uma composição de nitrocelulose e cânfora que é produzido em uma folha e embebido numa solução alcoólica quente até que fique mole. A folha então é pressionada em moldes hemisféricos, aparadas, e deixa-se endurecer. Os dois hemisférios resultantes são coladas utilizando um adesivo com base em álcool e as bolas são agitadas depois em uma máquina especial para alisar as rebarbas pela fricção. As bolas então são classificadas de acordo com a uniformidade superficial, e as irregulares são descartadas. Parte da razão para as pessoas pensarem que as bolas são preenchidas com um gás diferente do ar é porque o plástico e adesivo usados ao queimarem, produzem um odor químico, semelhante à da película fotográfica ou cola de aeromodelo (lembra o cheiro da cola do revell?).
Outra boa razão para a bola de ping pong ser preenchida com o ar é bem lógica e simples: è barato. Aliás, é de graça! Já qualquer outro gás envolveria custos e complexificação do processo industrial sem uma boa razão para tal.

Não recomendo que você queime bolinha de ping pong. Brincar com fogo pode ser perigoso, pode causar acidentes sérios. Caso resolva testar, faça-o com segurança, use proteção e realize o experimento em local aberto, ventilado e sem objetos inflamáveis ao redor.
 Pesquisa: www.mundogump.com.br

O HÁBITO DO USO DO CELULAR NA ADOLESCÊNCIA

HANNA, 8º a


sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Lista de conteúdos para prova Parcial do 4° Bimestre

LISTA DE EXERCÍCIOS

 VOCATIVO E APOSTO


Identifique o Aposto e o Vocativo nas Frases Abaixo:
01. Chegou a hora da verdade, amigos.
02. Cuidado com o carro, seus loucos!
03. O senador foi à festa com a namoradaMarcia.
04. Pedro II, ex-imperador do Brasil, foi deportado.
05. A ordem, meus amigos, é a base do Exército.
06. Mário possui três filhas: Janaína, Vitória e Bruna.
07. Deus, tenha piedade de nós!
08. Ele me disse apenas isso: a nossa amizade acabou.
09. Médico atencioso, o Dr. Bento andava sempre pelos bairros.
10. Pedro, meu irmão, foi eleito deputado.
11. Fiquemos no assunto, minha gente.
12. Helenaa menina que encontramosestava triste.
13. Ontemsegunda-feirapassei o dia com dor de cabeça.
14. Ó céus, ouvi a minha prece.
15. Libertai-me, Senhor, de todos os males!
16. Vento, chuva, nada o impedia de cumprir sua missão
17. A morte, angústia de quem vive, ocorre ao acaso.
18. Malandro, pare com isso!
19. A melhor praia de Salvador é a de São Tomé.
20. Vocês por aqui, meninos?!

VOCATIVO E APOSTO___________________________GABARITO

01. Chegou a hora da verdade, amigos. (vocativo)
02. Cuidado com o carro, seus loucos! (vocativo)
03. Pedro II, ex-imperador do Brasil, foi deportado. (aposto)
04. A ordem, meus amigos, é a base do exército. (vocativo)
05. Mario possui três filhas: Janaína, Vitória e Bruna. (aposto)
06. Deus, tenha piedade de nós! (vocativo)
07. Ele me disse apenas isso: a nossa amizade acabou. (aposto)
08. Médico atencioso, o Dr. Bento andava sempre pelos bairros. (aposto)
09. Pedro, meu irmão, foi eleito deputado. (aposto)
10. Fiquemos no assunto, minha gente. (vocativo)
11. Helenaa menina que encontramosestava triste. (aposto)
12. Ontemsegunda-feirapassei o dia com dor de cabeça. (aposto)
13. Ó céus, ouvi a minha prece. (vocativo)
14. Libertai-me, Senhor, de todos os males! (vocativo)
15. Vento, chuvanada o impediu de cumprir sua missão. (aposto)
17. A morte, angústia de quem vive, ocorre ao acaso. (aposto)
18. Malandro, pare com isso! (vocativo)
19. A melhor praia de Salvador é a de São Tomé. (aposto)
20. Vocês por aqui, meninos?! (vocativo)

EXERCÍCIOS SOBRE PONTUAÇÃO


1) (PONTUAÇÃO) A frase em que deveria haver uma vírgula é:

a) Comi uma fruta pela manhã e outra à tarde.
b) Eu usei um vestido vermelho na festa e minha irmã usou um vestido azul.
c) Ela tem lábios e nariz vermelhos.
d) Não limparam a sala nem a cozinha.

2) (EXERCÍCIOS DE PONTUAÇÃO) Indique o erro de pontuação:

a) Diga-me quantas horas são?
b) Dorme, que eu penso.
c) Os soldados agacharam-se, e ele saltou.
d) As nuvens, as folhas, os ventos não são deste mundo.

3) Assinale a pontuação errada:

a) Falei com ele com tanta segurança, que nem discordou de mim.
b) Porque falei com ela, para mim não há mais dúvidas.
c) Falei com ela que eu, estaria aqui cedo hoje se tudo corresse bem.
d) Falei ao chefe que, se o plano corresse bem, estaríamos salvos.

4) Os períodos abaixo apresentam diferenças de pontuação. Assinale a letra que corresponde ao período de pontuação correta:

a) A vida como, a antiga Tebas, tem cem portas.
b) A vida como a antiga Tebas tem, cem portas.
c) A vida, como a antiga Tebas, tem cem portas.
d) A vida como a antiga Tebas, tem cem portas.

5) (EXERCÍCIOS DE PONTUAÇÃO) Assinale a alternativa em que o trecho - No entanto, quando a Suprema Corte decidiu ouvir o apelo do caso, em 1980, o panorama da biologia molecular havia mudado radicalmente. - reescrito, encontra-se corretamente pontuado.

a) No entanto, em 1980, quando a Suprema Corte, decidiu ouvir o apelo do caso o panorama da biologia molecular havia mudado radicalmente.
b) Quando a Suprema Corte decidiu ouvir o apelo do caso, em 1980, no entanto, o panorama da biologia molecular havia mudado radicalmente.
c) No entanto, o panorama da biologia molecular havia mudado radicalmente, quando a Suprema Corte, decidiu ouvir o apelo do caso, em 1980.
d) Quando, no entanto, em 1980, a Suprema Corte decidiu ouvir o apelo do caso, o panorama da biologia molecular, havia mudado radicalmente.


 GABARITO:   1-b  2-a  3-c   4-c   5.b  

MAIS EXERCÍCIOS DE PONTUAÇÃO


  1.  Do texto seguinte, omitiram-se as vírgulas. Transcreva-o, colocando-as:
 "Quando eu pedi três meses depois que casasse comigo Iaiá Lindinha não estranhou nem me despediu."

2.  Assinale o item em que o texto está corretamente pontuado:
a) Não nego, que ao avistar a cidade natal tive uma sensação nova.
b) Não nego que ao avistar, a cidade natal, tive uma sensação nova.
c) Não nego que, ao avistar, a cidade natal, tive uma sensação nova.
d) Não nego que ao avistar a cidade natal tive uma sensação nova.
e) Não nego que, ao avistar a cidade natal, tive uma sensação nova.

3. leia
"- Muito bom dia, senhora,
Que nessa janela está;
sabe dizer se é possível algum trabalho encontrar?"
(João Cabral de Melo Neto)
No primeiro verso, senhora vem entre vírgulas porque o termo é:
a) um aposto.
b) um sujeito deslocado.
c) um vocativo.
d) um predicativo.
e) um sujeito simples.

4. Os períodos apresentam diferenças de pontuação. Indique a alternativa que corresponde ao período de pontuação correta.
a) A menina chorando de emoção, recebeu, o presente das mãos do padrinho.
b) A menina, chorando de emoção recebeu o presente, das mãos do padrinho.
c) A menina, chorando de emoção recebeu o presente das mãos do padrinho.
d) A menina chorando, de emoção recebeu o presente, das mãos do padrinho.
e) A menina, chorando de emoção, recebeu o presente das mãos do padrinho.

5) Quais são as frases corretamente pontuadas?
a) Os alunos angustiados esperam o resultado dos exames.
b) Os alunos, angustiados, esperam o resultado dos exames.
c) Os alunos, esperam angustiados, o resultado dos exames.
d) Angustiados, os alunos esperam o resultado dos exames.
e) Os alunos, esperam, angustiados, o resultado dos exames.
f) Os alunos esperam angustiados, o resultado dos exames.

6. Ocorre pontuação inaceitável em:
a) Doutor, ainda que mal pergunte, que negócio é esse?
b) Se queres distrair-te, ouve cantores italianos.
c) Bento era entre todos os empregados, o mais fiel.
d) Perdoo-te; espero, porém, que não reincidas no erro.
e) Não creias naqueles que não acre­ditam em ninguém.

 GABARITO DOS EXERCÍCIOS DE PONTUAÇÃO

1. (Fuvest-SP) Do texto seguinte, omitiram-se as vírgulas. Transcreva-o, colocando-as:
"Quando eu pedi, três meses depois, que casasse comigo, Iaiá Lindinha não estranhou, nem me despediu."

2. E   3. C  4. E   5. A,  B, D   6. C 

PtD: Profª Wilma